Chuvas e os animais peçonhentos no condomínio

Mais lidas

O período chuvoso traz muitas vantagens para a produção no campo, além de amenizar as altas temperaturas em diversas regiões do país. Entretanto, também é nessa época do ano que ocorre maior incidência de animais peçonhentos invadindo residências. Aranhas, cobras e escorpiões buscam abrigo seco para se proteger, oferecendo, porém, risco à saúde dos moradores. Por isso, alguns cuidados são essenciais para evitar maiores sustos. 

A localização dos condomínios é um importante fator para a presença desses animais. Muitos deles estão situados dentro de áreas verdes, onde há fauna e flora em abundância. Com as chuvas e o consequente encharcamento causado na região, os animais procuram alojamento em locais secos. Por esse motivo é indicada a capina do imóvel de pelo menos dois metros entre o terreno do imóvel e o exterior.  

Animais como o escorpião não aparecem apenas por causa das chuvas. Eles podem ser encontrados em condomínios em busca de comida. Como eles se alimentam de baratas, por exemplo, fatores como a caixa de gordura aberta e sujeira podem ser grandes atrativos para a presença de baratas e, consequentemente, de escorpiões. 

Os ratos também se proliferam em ambientes sujos e sua presença atrai as cobras, que se alimentam deles. As aranhas se abrigam em matos ou jardins. Logo, manter o condomínio sempre limpo, sem acumulo de entulho e lixo doméstico, pode impedir visitas inesperadas de animais peçonhentos. 

Manter a grama sempre aparada e as paredes rebocadas; deixar os móveis afastados das paredes; nivelar portas e janelas; evitar andar descalço em áreas abertas; verificar as toalhas de banho, calçados e as roupas de cama antes do uso são medidas de prevenção que também podem ser úteis. 

Em geral, os bichos atacam quando se sentem ameaçados. O correto nos casos em que o morador se depara com um animal fora de seu habitat é acionar o Corpo de Bombeiros ou o Centro de Zoonoses. Esses profissionais têm treinamento adequado para lidar com a imprevisibilidade do mundo animal, sem machucá-los ou ocasionar danos à natureza. 

O recomendado é que se evite o contato com o bicho, mantendo distância segura e garantindo a integridade do morador e do próprio animal. O manuseio incorreto dele pode ocasionar ferimentos ou provocar agressividade. 

Em caso de picadas de cobras ou escorpiões, o local deve ser lavado imediatamente com água e sabão, ou soro fisiológico. A pessoa deve, se possível, elevar o membro atingido e ser levada para o atendimento médico urgente. Não é recomendado amarrar o local da picada, nem furá-lo ou cortá-lo.  Se possível, a pessoa deve identificar o animal. 

Imagem: Pixabay

Fonte: Redação Prednews

- Advertisement -spot_img

Mais notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -spot_img

Últimas noticias